06/03/2018

Ciclista, você sabe qual o acessório que nunca sai de moda?

 

Todo ciclista que se preza cuida muito bem da sua vida e da sua bike. Sempre está procurando saber quais os melhores acessórios para a sua magrela e para ele. Existe um acessório que é indispensável e que nunca sai e moda. Você sabe qual é?

O bom e sempre atual, capacete!

Não é um acessório da bike e sim do ciclista. É um item de segurança fundamental, pois protege a cabeça do ciclista numa eventual queda. O capacete pode evitar além de lesões sérias até o óbito do ciclista por traumatismos. No começo, ninguém se importava em usar capacete. Hoje parece tão óbvio! E mesmo com os acidentes, foi necessária uma tragédia para que alguém tomasse a iniciativa em mostrar ao mundo por que proteger a cabeça é tão importante.

“Lawrence da Arábia”

Lawrence na Arábia, em 1919.

Não estamos falando do épico filme lançado em 1962 e ganhador de vários prêmios, dentre eles o Oscar de “Melhor Filme”. Lawrence não é um personagem fictício. Thomas Edward Lawrence foi um oficial inglês que ficou famoso por seus relatos detalhados e realistas sobre a guerra no Oriente Médio, na qual ele foi uma peça chave como líder dos árabes rumo à independência. “Lawrence da Arábia”, como ficou conhecido, era um homem virtuoso, com uma ávida busca pelo conhecimento. Era inclusive, um cicloturista! Viajou pela França com sua bicicleta nos anos de 1906 até 1908.

O acidente

Lawrence com uma das suas paixões

No dia 13 de maio de 1935, enquanto Lawrence pilotava sua moto Brough Superior SS1000 de volta para casa em Clouds Hill, Inglaterra, se deparou com dois garotos andando de bicicleta, os quais ele não tinha visto devido a uma depressão na estrada. Ele tentou desviar deles, mas perdeu o controle da motocicleta e foi arremessado por cima do guidão. Como estava sem capacete, Lawrence sofreu graves lesões na cabeça, que o deixaram em coma.

Da tragédia à segurança

Dr. Hugh Cairns

Hugh Cairns era neurocirurgião na equipe de médicos que cuidou de Lawrence. Após seis dias em coma, Lawrence faleceu. O Dr. Cairns ficou indignado com a grande perda. A partir disso, ele começou um estudo, denominado “Perda desnecessária de vidas por pilotos de motocicleta devido a ferimentos na cabeça”, apoiado pelo exército inglês, que logo tratou de equipar todos os seus soldados motociclistas com capacetes. Mais tarde, o governo inglês determinou como obrigatório o uso do capacete para os motociclistas.

Tempos modernos

Tendo suas primeiras utilizações pelos ciclistas registradas no início do século 19, o capacete como conhecemos hoje surgiu somente por volta da década de 70, quando a fabricante Bell Helmet Company criou o primeiro capacete em poliestileno expandido (EPS), bem mais leve e resistente do que os materiais que o antecederam, em especial o isopor. No Brasil, esta tecnologia só chegou uma década depois, principalmente com a introdução do Mountain Bike e a abertura das importações.

                     

 Capacete Ciclismo Com Led 2 Atrio Preto Fosco G BI106 (http://www.lojacasafaz.com.br/ciclismo/protecao)

De lá para cá, muita coisa mudou e materiais novos surgiram, chegando aos tempos modernos com os capacetes comuns fabricados em sua maioria em plástico ABS reforçado e sistema de absorção de impactos em EPS (Poliestireno Expandido). Modelos mais caros podem ser fabricados em fibra de vidro ou carbono com injeção de Kevlar.

 

Qual o modelo mais adequado?

(http://www.lojacasafaz.com.br/ciclismo/protecao)

Antes de comprar seu capacete é necessário refletir sobre alguns pontos, para que você não corra o risco de se arrepender depois. São eles:

  • Qual a modalidade de ciclismo eu vou praticar - Basicamente, existem 3 tipos de capacetes, além dos infantis: Os totalmente fechados (“full face”), os abertos, que podem ter uma “pala” dianteira ou não, e os aerodinâmicos. Cada um é utilizado para uma modalidade.
  • Quanto o orçamento disponível - Quanto mais leve, resistente e arejado for o capacete, mais caro ele será. Pesquise bastante sobre os materiais e tendências para os capacetes atuais. Se seu orçamento permitir, compre o melhor capacete que seu dinheiro possa adquirir. Em caso de um acidente, certamente os prejuízos serão bem maiores que o valor do capacete!
  • Como escolher o melhor modelo - Muitas vezes o modelo P (pequeno) de um capacete pode ser maior ou menor que o de outra marca. Experimente todos os capacetes disponíveis no seu tamanho, até encontrar o que te “vista” melhor, em termos de conforto e adaptação. Procure vestir e ficar com o capacete por alguns minutos, pois os inconvenientes nunca aparecem logo que vestimos o capacete. O capacete nunca deve ficar frouxo ou com folga e nem demasiadamente apertado.

Não é obrigatório, más é essencial!

A legislação para ciclistas no Brasil não coloca o capacete como um item de segurança obrigatório. O uso não é obrigatório, mas é recomendado e de fundamental importância para a preservação da vida. Da mesma forma, o uso das cotoveleiras e as joelheiras. Apesar de não serem itens previstos em lei, a regra de segurança se destaca em relação à legislação, neste caso.

Fica a dica!

O capacete é um item essencial, protegendo o ciclista – que está sujeito a acidentes como em qualquer outro veículo – de ferimentos graves, além de salvar sua vida em muitos casos. Não deixe de usar, o prazer é momentâneo, mas as consequências, não! Pense nisso! Enquanto isso acesse o link http://www.lojacasafaz.com.br/ciclismo e veja a promoção que preparamos para você. Até mais!